Games, animes, downloads e tudo sobre visual novels.

Novidades

Tradução: Kamigami no Asobi ~ Prologo parte 1


Como prometido na pesquisa que fiz aqui no blog, hoje começo a trazer o prólogo de Kamigami no Asobi.

Importante:
O jogo é dividido em Prólogo, depois vem As atividades de Clube e o Conselho estudantil, ai depois desses três capítulos e que você entra em uma rota.
Eu não sei se vou traduzir as atividades de clube e nem o conselho estudantil. Mas o prologo vou trazer todo aqui.

Depois de escolher seu nome na tela de personagem o jogo começa assim:

[Céu]

Começo da primavera.
Eu conseguia ver as flores de cerejeiras através de minhas cortinas. Os botoes de flores mais novos não tinha florescido ainda.
Ainda assim, suas cores tão claras eram tão bonitas que eu não conseguia para de olhar.
Mãe: O café da manha esta pronto!
Mc: Estou indo!
Assim que eu ouvi a voz da minha mãe da sala de estar, eu desci, para o primeiro piso.

[Mudança de cena~ Sala de estar japonesa]


A sala tinha cheiros maravilhosos em toda parte.
Mc: Bom dia, Mãe eu estou com fome!
Em uma mesa estava arroz branco, Miso, peixe cozido... e a agenda de hoje.
Eu ajudei minha mãe a trazer comida da cozinha e me sentei na mesa.
Eu ouvi a porta da frente aparecer, e meu Pai apareceu na sala.
Mc: Ah, pai, bom dia!
Pai: Bom dia , Mc. O vento de ontem foi tão forte que tinha folhas em todo lugar! Aii, meus ombros estão duros....
Enquanto ele dizia isso, ele rodava seus ombros.
Já que Pai é um sacerdote, seu trabalho é limpar os caminhos no templo toda manhã.
Pai: O hoje o café parece delicioso.
Alegremente, ele sentou na mesa e ligou a Tv.
O programa de noticias da Tv estava mostrando algum incidente na cidade.
Pai: Como sempre eles ainda estão tentando assustar as pessoas.
Franzindo a testa com as más noticias, ele pegou seus Hashi.
Pai: Itadakimasu [Obrigado pela refeição, vamos comer...]
Ele pegou um pouco de comida.
Mc: Itadakimasu!
Seguindo a deixa do Pai, eu comecei a comer meu café da manhã.
Manabu: .... Bom dia.
Meu irmão Manabu, um terceiro ano no colegial, tinha terminado de se preparar e se sentou para comer.
Mãe desamarrou seu avental.
Mae: Jun você esta atrasado!
Ela chamou ele do segundo andar, eu conseguia ouvir o passos rápidos.
Meu segundo irmão Jun, um primeiro ano no colegial, praticamente veio rolando escada abaixo até a sala.
Jun: Droga! O meu professor do primeiro período é rígido! Eu vou morreeeeeeeer!
Em apenas um movimento, ele pegou arroz da tigela, e como um furacão passou pela sala e saiu correndo pela porta.
Mãe: Puts....Ele nunca Muda!

Aos poucos um olhar de surpresa se forma no rosto de mãe.
Ainda era apenas oito horas.
Essa é minha... É assim que todas as manhã da família Kusanagi são.

[Mudança de cena ~ Entrada de um templo]
Mc: Eu vou para escola agora!
Manabu: .... Também vou.

Eu deixei a casa junto com Manabu.
Na verdade nossa casa é um pequeno templo. Nos cinco vivemos juntos perto de um santuário oculto aonde dizem que um deus habita.
Uma parte dele é uma banca aonde nos damos amuletos e outras coisas.
Manabu: .... Mc, a visita ao templo.
Mc: A,ah, sim!
Depois de me limpar com a água do templo, eu olhei para o templo com meu irmão.
O templo Kusanagi foi construído por nossos antepassados a muito tempo atras, e foi passado de geração a geração.
Porque não temos espadas sagradas no nosso templo, foi determinado que nos devíamos estudar Iai, assim sendo, eu e meus irmãos estamos aprendendo desde de muito novos.
Nos olhamos o deus do templo, e mostramos nossos respeitos.
Nos pedimos, batemos palmas duas vezes e pedimos de novo.
Mesmo eu sendo filha de uma família que cuida de templos, eu nunca encontrei um deus em pessoa. Eu acho que eu não tenho um sexto sentido.
Mas eu acredito no fato que deuses existem.
Eu não sei que tipo de pessoas eles são, mas eu estou certa de que eles estão olhando por nos.
Eu penso assim desde da infância.
Mc: ... .... Certo.
Hoje o respeito está completo.
Mc: Manabu, vamos!
Manabu: .... Sim.
Nos andamos o caminho de volta, passamos atraves do portão, e deixamos o templo.

[Mudança de cena ~ Caminho lago e casas]
Agora, nos estamos no meio de março.
As solitárias cerejeiras estão fazendo seu percurso, aos poucos tentando abrir seus botoes.
Perto do templo, há um ponto de ônibus, onde um ônibus vem a cada trinta minutos.
Aqui é aonde eu me separo de Manabu e vou sozinha para a escola.
Depois de um tempo, eu estou cercada por outros estudantes da minha escola. Todos estavam com belos sorrisos e falando alegremente.
Provavelmente porque as férias de primavera começam amanha.
O terceiro ano saiu a poucos dias atras, depois de sua cerimonia de graduação. Hoje é a formatura dos alunos que ainda sobraram.

[céu]

Todos que chegaram na escola, se reuniram no ginásio e uma modesta cerimonia começou.
Comparada a cerimonia de graduação esta era muita tranquila, mas ainda assim meu coração estava batendo.
Diretor: Primeiro parabéns a todos por completar este ano.
Diretor: Eu estou muito contente de ver todos vocês aqui hoje. Vocês trabalharam duro para chegar aqui.
Diretor: Mas a estrada ainda não terminou, as turmas de segundo ano ao seu lado estão indo para o último ano de suas vidas no ensino médio.
Diretor: O terceiro ano, é uma grande mudança nesse ponto da vida. Como você vai perseguir seus sonho? Eu espero que vocês irão conseguir fazerem eles virarem realidades.
Diretor: Você apenas tem uma vida para viver. Aprenda, escolha e determine seu caminho para o futuro então você não irá ter arrependimentos.

.... A cerimonia de abertura irá acontecer quando as cerejeiras perderem suas flores, e meu último ano na escola vai começar.
Eu preciso me focar no futuro, e fazer minhas escolhas.
Mas agora, eu ainda não posso me ver no futuro.

Mc: Apenas uma vida para viver, huh?

[De volta aquele caminho do lago]

Akane: Vamos juntos pra casa.
Meus amigos de sala me chamaram para ir com eles, então saímos da escola juntos.
Keiko: Desde de que acabou cedo, vamos a algum lugar! Como a livraria ou biblioteca...
Akane: Uau... Keiko... Por que você ainda quer estudar mesma nas ferias?
Akane: Você tem que ter alguma diversão! Vamos para o karaoke!
Mc: Vocês estão cheias de energia.
Akane: Já são as ferias de primavera!
Akane: O que você tem? Você não esta se sentindo bem?
Mc: Eu....
Tem alguma coisa apertando em meu peito.
Mc: Eu, uh, percebi algumas coisas depois de ouvir o diretor... Eu não tenho certeza se eu posso decidir tudo em apenas um ano...
Keiko: Você não vai continuar trabalhando no templo, como sua família? Eu quero dizer, você esta aprendendo Iai desde e cedo, e aparece que você está pronta para isso...
Mc: Isso é porque eu tenho que fazer isso... Eu tenho certeza que um dos meus irmão vai assumir o Templo.
Como Manabu ou Jun
Akane: Bem e sobre você?
Akane: Você tem gastado sua vida trabalhando nisso seriamente, nem mesmo tem tempo de se apaixonar! Seria um desperdício se você não trabalhasse lá.
Mc: Isso é verdade... Eu sempre fiz Iai e nada mais.
Mas eu acho que assumir o templo e outro tipo de problema.
Eu sempre gostei de fazer Iai, e ficava realmente concentrada nisso. Eu continuava fazendo isso, fiz no ginásio e no ensino médio.
As atividades de clubes pareciam divertidas, é claro, mas elas não me chamavam muito a atenção.
Eu nunca nem mesmo pensei sobre amor.
Mc: Amor...
Eu sei que todo mundo sonha sobre isso, e eles gostam de ler manga sobre se apaixonar e coisas assim...
Eu nunca pensei sobre mim fazendo isso. Amo não é uma coisa que todos deviam saber.
Esses são meus verdadeiros sentimentos. Já que eu não passei por isso, eu só não posso imaginar.
Akane: Eu vou ter vários encontros, tantos quanto eu puder no nosso último ano! Eu já estou pensando em me aproximar de um Gato da sala B!!
Akane: Não dê mole no ano que vem!!
Vendo o brilho nos olhos de Akane eu pensei que namorar talvez não fosse algo tão ruim assim....
Mc: Você esta me dizendo para não dá mole, mas não tenho ninguém para sair.
Keiko: Nos temos testes vindo também. Temos que começar a estudar agora se nos queremos entrar na escola de nossa primeira escolha.
Amor, namoro, estudar para as provas.... Pelo menos essas duas tem planos para o ano que vem.
Percebendo isso eu me sinto impaciente.
Enquanto eu pensava isso, eu senti que se abria uma distancia entre nos.
... o que é Iai para mim?
É claro que eu sei que eu vou fazer isso, porque nosso templo tem espadas sagradas.
Assim que eu tomei noção dessas coisas, eu descobri que coisas familiares são as únicas que eu levo bem sem ficar pensando sobre.
Mas elas não são realmente necessárias. Pelo menos elas não são se eu não for assumir o templo.
Por meio do Iai, terá um caminho aparecido?
Se eu puder, eu quero procurar esse caminho. Eu não quero desperdiçar as coisas que aprendi até agora.
Akane: Mc, vem aqui!
A voz de Akane me trouxe de volta com um solavanco, assim eu precebi que meus pés tinham parado de se mover.
Mc: Ah, espera!
Eu me senti confusa, eu abaixei minha cabeça.
Mc: Desculpe!
Mc: Eu acabei de me lembrar de uma coisa que tenho que fazer! Eu vou direto para casa daqui.
Akane: O que?! Por que?!
Mc: Desculpa, realmente.
Keiko: Nada, esta tudo bem. Tenha uma ida segura para casa. Vamos nos encontrar em um outro dia durante as ferias.
Mc: Sim! eu vou conseguir tempo para as duas!
Mc: Obrigada, vejo vocês depois!
Eu sai da estrada que levava a estação, e me voltei para o caminho de casa.

[Sala tradicional]
Mc: Cheguei!!
Mãe: Ah, bem vida de volta. ... Por que você esta taõ ofegante?
Mc: Me empresta a chave do armazém.
Mãe: O que foi que aconteceu? Ela está no gaveteiro, bem ali.
Mc: Eu tenho um coisa para fazer! Eu vou voltar logo!
Eu peguei a chave do gaveteiro perto do telefone, então sai correndo pela porta da frente.

[Entrada do templo]
Atras de nossa casa, há um pequeno armazém. Isso foi construído quando meus ancestrais estavam vivos. E esta lá por seculos. Ele é frequentemente arejado, mas você ainda tosse muito devido a ser uma construção velha, e é difícil de entrar.
Mas hoje, eu queria saber porque meus antepassados começaram a tradição do Iai. Eu queria entender a conexão entre nossa família e o Iai. Então eu decidi abrir a porta.
Para encontrar o caminho que deveria seguir.
Eu abri o grande cadeado com a chave, e empurrei a pesada porta de ferro. Eu entrei assim em um quarto empoeirado.

Mc: Urgh....
Mc: Com certeza é difícil ficar aqui, mas....

Conforme eu andava, a poeira se levantava em círculos. Isso brilhava na luz do sol. Vendo cena tão ilusória, lembrei dos antigos contos do Templo Kusanagi.
Existiu um homem que foi sentenciado a morte depois de acidentalmente matar seu irmão mais velho. Entretanto, a vida desse homem poderia ser salvada por uma espada passada de geração a geração.
Mc: ...Nos temos uma caixa assim?
Lá tinha uma caixa de uma tamanho que eu nunca tinha visto. Ela estava lá no armazém, interessada eu me aproximei. Ela era longa e fina. Esse formato é...

Mc: Uma espada?
A espada guardada no templo era mantido em uma caixa como esta. É de um formato curioso, não um que você veria na vida cotidiana.
Mc: Eu me pergunto se há realmente uma espada aqui.
O conteúdo dentro da caixa, pegou meu interesse.

Escolhas


1. Tente abrir.
2. Tente levantar.
3. Tente tocar.

1. Tente abrir
[Não há testo]

2. Tente levantar.
Com curiosidade eu tentei levantar a caixa.
Era... pesada.
O peso era muito, com certeza isso prova que o conteúdo é importante.

3. Tente tocar
Como se estivesse batendo em uma porta. Eu tente tocar na caixa.
Um som preenchido veio em resposta.
Mc: Tem alguma coisa ai.

Continuação

Estendi a mão e levantei a tampa. Havia vários pedaços de pano empilhados uns sobre os outros. Em seguida, uma lâmina de dois gumes apareceu diante dos meus olhos. Ao contrário de uma katana, era afiada em ambos os lados, como uma espada usada nos países ocidentais. Eu ouvi de meu pai, uma vez que este tipo de espada era comum no Japão antes da invenção da katana.
Na sua lateral tinha escrito três ideogramas.天 叢 雲
Mc: Ten ... kumo ...?

Eu não sei como eles são pronunciados. É este o nome da espada? Ou este é o nome da pessoa que fez isso? Enquanto tentava descobrir os significados dessas palavras, eu tracei a gravura com o meu dedo. pareceu agradavel e relaxante ao toque. Isso me fez sentir misteriosamente calma.
Contudo…

Mc: ... Quente?
Por que uma espada começar a esquentar, de repente? Era o tipo de calor suave que se sentiria ao acariciar um animal.
Mc: O que aconteceu? Há algo de errado com os meus dedos?
Peguei a espada e toquei-a em outro lugar.
... Havia calor em todos os lugares que eu tocava.
Mc: ... O quê? Está pulsando?
Tum,Tum  ... Ela estava batendo como um coração. Havia uma sensação pulsante misteriosa na palma da minha mão.
Mc: O-o que ?!
Tentei soltar a  espada, mas eu não podia me mover. Parecia que eu estava paralisada. A batida acelerou, e ...
???: Ajude-me!
Eu podia ouvir uma voz fraca.
???: Socorro! Alguém algum lugar!
Várias vozes sobrepostas, suplicantes.
Mc: Quem é ? Quem está aí?
Mc: O que foi isso? O que aconteceu…!

[Tela branca]
Então, uma luz ofuscante saiu da espada.

Notas: Terminando a parte um aqui, depois eu trago a segunda parte trabalhando nela desde de já.

Share:

0 Comentários:

Postar um comentário

Seu comentário me deixa muito feliz, mas se não der para comentar tudo bem! obrigada pela visita!

(。♥‿♥。) (*≧m≦*) ヾ(^∇^) m(_ _)m (◎_◎;) (T_T) (*_*) (~~~)\(^o^)/
(^_−)☆ (*・∀・)/\(・∀・*) (>д<)\(*T▽T*)/ (^_^) ❤

Sitam-se livres pra comentar e dividam seus link aqui, adorarei visitar

Hakuouki Kyoto Winds Sai dia 26 de agosto, por 55 ou 66 reais

Siga aqui também

Followers

Parceiros

Radio J-hero

Rádio J-Hero

Jogos Nacionais

Divulgação

Otome games